Comissão de Meio Ambiente inicia campanha Lixo Zero

Com o objetivo de reduzir o impacto ambiental provocado pela produção de lixo e valorizar as pessoas que trabalham com coleta de resíduos, a Comissão de Defesa do Meio Ambiente da OAB-BA dará início ao projeto OAB Lixo Zero. A ação conta ainda com apoio das Comissões de Mediação e Conciliação e de Responsabilidade Social.

O vice-presidente da Comissão do Meio Ambiente, Maurício Campos, explicou que a comissão defendeu a importância da existência de um projeto que integrasse a OAB com a sociedade sob o ponto de vista ambiental e que servisse de modelo para outras instituições. "Resolvemos capitanear dentro da comissão o projeto OAB Lixo Zero, sendo algo que está além das manifestações teóricas,”afirmou. A ação visa implementar na OAB-BA a possibilidade de se trabalhar cada vez menos com a produção de resíduos. Em seguida, o projeto será levado para outros órgãos da sociedade. "Buscamos usar a OAB como laboratório porque precisamos ser espelho para a sociedade,”disse.

Integrante da Comissão do Meio Ambiente e idealizadora da ação, a advogada Laíze Lantyer explicou que a primeira etapa do OAB Lixo Zero envolve a valorização e o reconhecimento das(os) catadoras(es), sobretudo das mulheres que atuam na coleta de resíduos.

"É preciso resgatar a autoestima, dar visibilidade e reconhecimento a essas pessoas, como forma de valorização desse tão importante trabalho, Direito Ambiental e Direitos Humanos são indissociáveis. A concepção de sustentabilidade não pode ser vista apenas como questões ambientais ou uso de tecnologias para solucionar problemas sistêmicos", disse Laíze Lantyer. Ainda segundo a advogada, nessa etapa serão estabelecidas parcerias com cooperativas e firmadas as bases para o desenvolvimento do projeto.

Destino correto

Ainda de acordo com Laíze Lantyer, Lixo Zero significa o máximo aproveitamento e correto encaminhamento dos resíduos recicláveis e orgânicos. O objetivo é o fim da destinação destes materiais para os aterros sanitários ou incineradores.

O propósito ainda é o desenvolvimento de um projeto inclusivo e que reconheça a dignidade dos(as) Catadores(as), que estão na base de todo esse processo. Ela destacou a importância da população como um todo, em romper as barreiras do analfabetismo ambiental.

"O analfabetismo ambiental provoca a vulnerabilidade social que acomete essas mulheres e homens. Precisamos aprender a destinar corretamente o lixo e cumprir a legislação", afirmou. Ela destacou também que para que essa ação obtenha êxito é fundamental envolver os pilares social, ecológico e econômico.

Valorização pela Arte

Está previsto ainda no projeto a produção de uma série de fotografias com as catadoras com o objetivo de mostrar o importante trabalho dessas mulheres e o quanto elas são invisibilizadas e dessa forma, poder promover uma elevação da auto estima desas guerreiras, que buscam de forma digna o sustento de suas famílias. As catadoras serão fotografadas em seu ambiente de trabalho e, em seguida, após passarem por uma produção estética em salão de beleza, em locais de Salvador escolhidos por elas.

As fotos então serão expostas em locais de grande circulação de pessoas na cidade, com o intuito de chamar a atenção pública para a atividade profissional desempenhada pelas Catadoras e Catadores.

A ação conta com o apoio da organização PEACE - Paz, Educação Ambiental e Consciência Ecológica; Núcleo de Estudos sobre Direitos Humanos; Universidade de Pittsburgh, EUA; WeSpeak; Silicup; Restaurante Arena Imbuí; e Nova Imagem Salão.

Com base no texto acima, percebemos o quanto a sociedade está voltada para ações como o Projeto Lixo Zero Social Dez. Existe uma preocupação que desencadeia diversos profissionais a uma atitude de transformação. Com o projeto podemos perceber o foco na importância do ser humano e a base que serão melhores condições de trabalho, educação, e acesso para uma vida melhor.


Fonte: http://www.oab-ba.org.br


9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo